segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Chá-de-bebê ou não?

Tá, que os pais não participam dos chás-de-bebê eu já sei. Nada melhor que deixar as mulheres reunidas e falando amenidades sobre a vida materna e se encontrar com os amigos para um bom futebol ou tarde de jogatina.

Mas precisa mesmo manter essa tradição consumista branco-judaico-cristã-burguesa-ocidental??

Sugeri à Mamãe Paixão, como quem não quer nada, que ao invés de realizar chá-de-bebê abríssemos uma conta em nome do Amparo Maternal e pedíssemos a quem quisesse nos presentear que o fizesse por meio de uma doação à entidade.

Boa conhecedora da alma humana, me demoveu Mamãe Paixão desta idéia. O motivo, segundo ela, é que as pessoas gostam de eventos de confraternização, eles fazem parte da natureza humana, que se reúne para celebrações e rituais coletivos desde que surgiram os primeiros indícios de sociedades organizadas.

Enfim, como resultado, ficou estabelecido que manteremos a tradição das mamães do Brasil e faremos - mais adiante - o nosso chá-de-bebê. Eu, no entanto, ainda pretendo presentear o Amparo Maternal com vultosa doação, ajudando a organização a possibilitar que mais bebês nasçam com muito amor e carinho. Quem vem comigo?

* * *

Para quem não o conhece, o Amparo Maternal fica na Santa Cruz, em São Paulo, e recebe mulheres grávidas que por algum motivo específico (rejeição da família, do pai da criança, pobreza, etc.) precisam de apoio para ter seu filho.

É uma entidade que faz um trabalho social extremamente importante e humano, possibilitando anualmente o nascimento de bebês que sem ela estariam totalmente desassistidos.

Nos dias atuais, em que cada vez mais se relativiza o direito universal à vida e se privilegia a vaidade e interesses particulares, ter na cidade uma organização como o Amparo Maternal é motivo de felicidade e graça.

É reconfortante pensar que muitas mulheres encontram lá um lugar para seus bebês nascerem com carinho e respeito, para se tornarem mães sem sofrimento e sem tristeza.

Eu nunca consegui ajudar o Amparo e sempre me incomodei por isso, por meu desapego e preguiça. Agora vou mudar essa atitude.

* * *

Naturalmente, "tradição consumista branco-judaico-cristã-burguesa-ocidental" foi uma brincadeira! :)

Um comentário:

  1. Uma dica para a arrecadação: em vez de abrir uma conta num banco específica pra isso, você pode usar o recurso da "Vakinha" (http://vakinha.uol.com.br). Lá, basta você preencher um cadastro, e uma "conta" é aberta, gratuitamente, para que todos nós possamos colaborar. E essa colaboração pode ser em boleto bancário, transferência, ou mesmo cartão de crédito, sem nenhum custo para você. Além do mais, você estipula a meta, e nós podemos acompanhar, em tempo real, o andamento das contribuições.

    Parabéns pela iniciativa!

    Abraços, e tudo de bom.

    ResponderExcluir