segunda-feira, 9 de março de 2009

Memórias

Quem assistiu o filme O Fabuloso Destino de Amelie Poulin deve se lembrar de uma cena muito sensível em que Amelie encontra escondida no seu apartamento uma pequena caixa cheia de brinquedos antigos e a devolve a seu dono, hoje já adulto, que se emociona ao reencontrar a caixa e através dela relembrar sua infância.

Todos nós temos guardada na memória a recordação de situações e brinquedos que nos fizeram bem durante a infância. Seja um Ferrorama, o Castelo do He-Man, Master System, o Papai Noel chegando (ou o momento em que descobrimos toda a verdade, rsrs), o colo da avó, a cocada de pia da mãe, etc. Não importa qual a memória específica que seja, o importante é que ela nos faça bem e nos reconforte. É sentir aquele gostinho de uma saudade nostálgica, de um tempo que foi bom e que soubemos aproveitar sempre que possível.

Me escapa agora quando foi isso, mas a certa altura da minha vida decidi que guardaria o primeiro boné que tive e o daria a meu filho assim que ele nascesse. Acho que tinha 7, 8 anos. Seria algo como uma pequena "herança" da minha parte, uma promessa duradoura e um compromisso.

Sequer continuei a usar bonés depois disso - esquentam minha cabeça e me sufocam - mas nunca joguei fora aquela peça de roupa. Atualmente está na gaveta do meu guarda-roupas. Velho, retorcido e gasto, mas está lá.

Agora já não me importa mais que a criança use ou não o boné, que eu bata a foto e cumpra a promessa de garoto. O que realmente me sensibiliza nesse momento é que a decisão que tomei naquela época está finalmente se tornando realidade: serei pai.

Um comentário:

  1. Incrível como você escreve bem! Várias lembranças da minha infância vieram à tona ao ler esse texto... Cada nova experiência vem mais carregada de emoção, e não tem como não compartilhar, não se emocionar...

    Tenho certeza que, depois que Vergueirinha nascer, do conteúdo de tantos relatos emocionantes, se fará um excelente livro, muito além de uma ótima autobiografia, mas uma prova de quão maravilhosa deve ser a experiênia de ser pai.

    Parabéns, e um grande abraço!

    ResponderExcluir