segunda-feira, 18 de maio de 2009

Imperfeições

Não sou perfeito, pelo contrário. Muitas vezes, meus defeitos superam minhas qualidades. São nesses momentos que chateio as pessoas.

No último sábado deixei Mamãe Paixão triste, comportei-me mal. Estávamos a comprar a bicama da Vergueirinha e em poucos minutos fui da água para o vinho, demonstrei toda minha capacidade de alteração repentina de humor e de fazer isso apenas para chamar atenção e incomodar as pessoas queridas.

Não importam meus motivos, não há razão para ter agido assim. E eu já deveria ter aprendido: as pessoas ao nosso redor tratamos com respeito, os amigos o fazemos com afeto e os amados com amor, muito amor.

Uma mulher grávida está mais sensível, mais fragilizada. Ela carrega dentro de si o fruto da vida nova, o resultado da graça divina. É luz, é alma, é paixão.

Me esforço, mas ainda não aprendi completamente. Devo me entregar totalmente a essa mulher, fazer suas vontades e garantir-lhe a paz e calma de espírito. E não o oposto.

Ser pai é isto. É abrir-se completamente, se entregar, perceber que você, homem, não é mais o centro do universo, o mundo não gira ao seu redor e dos seus caprichos. Você era um, agora é uma família.

Ainda chego lá...

3 comentários:

  1. Parabéns !! A gene tem mesmo sempre que evoluir como ser humano, principalemte qdo vem por aí uma vida nova para darmos exemplo !!!

    bjs

    ResponderExcluir
  2. Digo: a gente !!! rs rs

    ResponderExcluir