quarta-feira, 10 de junho de 2009

Papai Canguru


Ontem Mamãe Paixão comprou um canguru, um equipamento como esses acima onde os pais podem andar carregando seus bebês e ter as mãos livres. O nome do equipamento é auto-explicativo.

Pode parecer exagero ou ilusão, mas uma das memórias mais antigas que tenho é de ser carregado em um produto desses, de pano cor azul, na Avenida Jabaquara, em frente à Igreja de São Judas. Eu não devia ter nem um ano de vida.

Talvez não seja memória sobre mim. Provavelmente era meu irmão sendo carregado e eu mais velho ao lado. Talvez até minha primeira irmã, eu com três anos de vida, não sei. Mas era nosso pai conosco.

Desde então, nunca mais vi esses produtos por aí. Tudo bem que não me preocupei em procurá-los na rua, mas se não estou equivocado foi só nos últimos anos em que eles voltaram à moda, em particular um modelo de tecido que parece uma faixa (ou rede) que cruza o tronco do pai/mãe de cima pra baixo e embala a criança.

Fico feliz com isso. Acho esse produto uma forma de aproximar os pais aos filhos, transferir calor, carinho, contato. Reproduz a maneira dos cangurus e retoma uma antiga tradição humana das mães carregarem seus recém-nascidos junto a seus corpos, envoltos, e não em carrinhos.

Estou feliz com a aquisição de Mamãe Paixão, quero usar e passear com a Vergueirinha por aí!

2 comentários:

  1. o modelo de tecido chama-se sling!!! e eu prefiro o sling ao canguru... apóia e protege mais o bebê!

    ResponderExcluir
  2. Sling... boa! Mas quero ter os dois! :)

    ResponderExcluir