domingo, 15 de novembro de 2009

Parques e Calçadas


Mamãe Patrícia, amiga minha que será mãe de um lindo menino, vai aproveitar duas coisas em Brasília que nós aqui não temos perto de casa: praças e calçadas adequadas.

Desde que Maria Alice nasceu Mamãe Paixão reclama a ausência de praças próximas para levá-la para passear. É verdade, estamos até bem pertos do Parque do Ibirapuera, a 10 minutos de carro, mas não há por aqui nenhum lugar arborizado que consigamos chegar a pé.

É um dos problemas de São Paulo e das cidades grandes que crescem desordenadamente - a falta de áreas verdes para as famílias. Com filhos a gente passa a entender isso melhor.

Mas o que mais nos faz sofrer assim que saímos para passear são as calçadas paulistanas.

Tudo bem que já é público e notório que São Paulo, como provavelmente a maior parte do país, tem calçadas mal feitas, quebradas e etc. Culpa do descaso do poder público e da falta de atenção dos moradores que, por lei, têm também responsabilidade pelo passeio público.

Mas tudo se intensifica na nossa cidade que, além de ter calçadas e asfaltos cheios de buracos, foi construída em um grande planalto. São tantos desníveis e degraus que sair com a Maria Alice no carrinho durante semana é uma aventura digna das selvas africanas.

Eu nunca tinha pensado nisso, até porque acessiblidade para mim dizia respeito apenas aos idosos e deficientes nas ruas, mas a partir de agora lembarei também das milhares de mães com seus carrinhos de bebê andando por aí e tendo todas as dificuldades do mundo nas calçadas e ruas de São Paulo.

Um comentário:

  1. QUEM TEM CARRO POUCO SE IMPORTA COM AS CALÇADAS, que são para uso de pedestres.
    Na Venezuela então (onde até o mais pobre tem carro), aquilo de calçadas é um horror com hagá maiúscula.... Qué bom que Maria Alice consiguiu que alguém influente (seu pai) possa levar um pouco de attenção às autoridades para esse humilde problema. Em Granolhers, perto de Barcelona, Espanha, se um pão com manteiga cair da mão duma criança na calçada, a mãe não tem nenhum medo de pegar esse mesmo pão do chão e dar ele de volta pro filho, já que nas madrugadas passam lavajato com detergente em TODAS as calçadas da cidade... Algúm dia chegamos lá, né?

    ResponderExcluir