sábado, 28 de fevereiro de 2009

Sumiram com os desejos!

Mamãe Paixão não tem desejos. Já são quase três meses e meio de gravidez e até agora nada de desejos!

Como é que pode?

Esperei ansiosamente esse momento de acordar bravo no meio da madrugada e ir buscar nectarinas no supermercado 24 horas da região, mas até agora nada, nada!!

Sequer uma mísera vontade de comer kebab, um coraçãozinho de frango, um shake de abacate, aaahhh!!

Será que isso ainda vai mudar? Serei acionado no meu papel de cuidador-mor da moça grávida da casa ou terei que esperar chegar um irmão para a Vergueirinha ano que vem? (plano com o qual Mamãe Paixão não deu o seu aval ainda)

Torçam por mim, querendo um desejo!!

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Detalhes

Ontem descobri que quando a mulher entra em trabalho de parto não necessidade de correr pro hospital.

ligado aquela imagem de filme e série norte-americana em que a grávida diz que a bolsa estourou e sai todo mundo desesperado pra maternidade ter o bebê?

Pois é, tudo cinema, drama.

Segundo consta, o importante é a gestante ir pro hospital em até no máximo seis horas depois do rompimento da bolsa para, com isso, evitar infecções. Mas o trabalho de parto pode levar de 08 a 12 horas no total, então se chegar cedinho a mulher corre o risco de tomar um grande chá de cadeira.

Como a Vergueirinha vai nascer em agosto, para nos programarmos direitinho. Eu que não ia querer correr para a maternidade no meio da final da Libertadores com o tricolor sendo campeão de novo, não é mesmo? :)

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Carnaval

Carnaval está passando e eu e Mamãe Paixão estamos em casa a descansar. Assistimos os desfiles de São Paulo e do Rio de Janeiro ao mesmo tempo em que víamos a exibição do Oscar e outras coisas na TV. Quando não há nada para se fazer o melhor é não fazer bem feito!

Fomos ao cinema assistir Milk. Ótimo filme, mostra as vicissitudes da democracia norte-americana e como o próprio sistema dá espaço para que as minorias se unam e lutem pelos seus interesses, resultando isso no benefício de toda a sociedade.

Mostra também a luta dos homossexuais dos Estados Unidos para terem direitos e voz. Quando se reconhece que homossexualismo não é doença e tampouco opção sexual, mas sim um estado natural do indivíduo (ninguém opta por ser homo ou heterossexual, as pessoas simplesmente o são), deixa-se o preconceito de lado.

O Brasil ainda precisa passar por esse processo de integração das minorias à sociedade, não por meio de aprovação de leis preconceituosas e que pretendem nos dividir (nossa legislação já é igualitária, justa e libertária), mas pela transformação da própria sociedade.

Como? Com cada vez mais democracia - votos distritais, subprefeitos eleitos, autonomia municipal e etc. Só o aprimoramento da própria democracia é capaz de combater os defeitos da atual democracia. O caminho inverso nós já conhecemos: Cuba, Rússia, Venezuela, China e etc., países que se dizem sociais mas que são campeões em agredir os direitos das minorias.

Mamãe Paixão tem sentido algumas pontadas nesses dias. Tá mais cansada hoje, mas no geral tá tudo bem. Imagino que a Vergueirinha esteja agora chegando ao seu oitavo centímetro!

Bom fim de Carnaval a quem ainda está na rua! :)

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Vergueirinha

Eis tudo o que há de mais belo e humano:



São três meses só, já há vida.

E onde há vida há amor!


quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

7 centímetros!

É esse o tamanho da minha filha na barriga da mãe, foi isso o que captou o exame morfológico realizado ontem.

Coisa linda, toda perfeita, deitada no útero como uma flor a aguardar o momento de desabrochar.
Até o momento, mostrou o exame, está tudo transcorrendo bem. As medidas do feto estão adequadas e não há sinais evidentes de má-formação ou qualquer outro tipo de problema no desenvolvimento da criança.

Queria tocá-la, pegá-la, abraçá-la. São seis meses a mais para aguardar, ansiedade cada vez maior.

Previsão de nascimento: meio do mês de agosto.

* * *

Filha?

O médico que acompanhou o exame de Mamãe Vergueiro disse que tem 70% de chance de ser menina. É uma questão de risquinhos....

Recentemente erraram com uma amiga dela. Vamos ver então!

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Mês 3

Hoje Mamãe Paixão vai à clinica fazer o segundo ultra-som do Vergueirinho. É o final do terceiro mês de gestação e aos poucos vamos sabendo mais detalhes do rebento.



Infelizmente não poderei ir com ela nesta tarde, mas estou super ansioso para saber como tudo vai sair. Rezem para que esteja tudo bem!!



* * *



Como assim menina?? A pesquisa no blog tá dando 10 votos para nascer uma menina e somente 5 votos para um são-paulinozinho! 1/3 apenas!!



Votem homem, rapazes!! :))

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Horários

Terça-feira, dia de rodízio do carrinho, dia de acordar cedo.

Tenho tentado levantar antes das seis horas e com isso chegar ao trabalho sem tomar multa. Quando não consigo vou de transporte público, a melhor e menos poluidora forma, porém no meu caso mais demorada e fora de mão.

Hoje deu tudo certo e logo de manhã estava na rua junto aos demais madrugadores do trânsito.

Foi quando, meio sem querer, passei a observar a grande quantidade de pessoas se deslocando na cidade e principalmente as crianças e jovens indo para a escola.

Lembrei-me então do meu tempo de moleque, quando vestia aquela calça azul e camiseta branca do colégio logo após ser obrigado a acordar as 5:30, 6:00 horas da manhã. Não gostava, até hoje não gosto de acordar cedo.

E percebi que em alguns anos serei eu a despertar meu filho toda manhã, todo dia, tirando-o da cama para ir estudar, encontrar os amigos e fazer traquinagens.

Deu uma felicidade de pai......

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Chá-de-bebê ou não?

Tá, que os pais não participam dos chás-de-bebê eu já sei. Nada melhor que deixar as mulheres reunidas e falando amenidades sobre a vida materna e se encontrar com os amigos para um bom futebol ou tarde de jogatina.

Mas precisa mesmo manter essa tradição consumista branco-judaico-cristã-burguesa-ocidental??

Sugeri à Mamãe Paixão, como quem não quer nada, que ao invés de realizar chá-de-bebê abríssemos uma conta em nome do Amparo Maternal e pedíssemos a quem quisesse nos presentear que o fizesse por meio de uma doação à entidade.

Boa conhecedora da alma humana, me demoveu Mamãe Paixão desta idéia. O motivo, segundo ela, é que as pessoas gostam de eventos de confraternização, eles fazem parte da natureza humana, que se reúne para celebrações e rituais coletivos desde que surgiram os primeiros indícios de sociedades organizadas.

Enfim, como resultado, ficou estabelecido que manteremos a tradição das mamães do Brasil e faremos - mais adiante - o nosso chá-de-bebê. Eu, no entanto, ainda pretendo presentear o Amparo Maternal com vultosa doação, ajudando a organização a possibilitar que mais bebês nasçam com muito amor e carinho. Quem vem comigo?

* * *

Para quem não o conhece, o Amparo Maternal fica na Santa Cruz, em São Paulo, e recebe mulheres grávidas que por algum motivo específico (rejeição da família, do pai da criança, pobreza, etc.) precisam de apoio para ter seu filho.

É uma entidade que faz um trabalho social extremamente importante e humano, possibilitando anualmente o nascimento de bebês que sem ela estariam totalmente desassistidos.

Nos dias atuais, em que cada vez mais se relativiza o direito universal à vida e se privilegia a vaidade e interesses particulares, ter na cidade uma organização como o Amparo Maternal é motivo de felicidade e graça.

É reconfortante pensar que muitas mulheres encontram lá um lugar para seus bebês nascerem com carinho e respeito, para se tornarem mães sem sofrimento e sem tristeza.

Eu nunca consegui ajudar o Amparo e sempre me incomodei por isso, por meu desapego e preguiça. Agora vou mudar essa atitude.

* * *

Naturalmente, "tradição consumista branco-judaico-cristã-burguesa-ocidental" foi uma brincadeira! :)

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Fraldas e a Sustentabilidade

No começo da gestação de Mamãe Paixão eu brinquei que usaríamos apenas fraldas de pano. O objetivo seria evitar o descarte de centenas de fraldas de plástico não-recicláveis no meio-ambiente.

Bem, não foi exatamente uma brincadeira. Quem já foi lá em casa sabe que tento reciclar o máximo de lixo possível e atualmente creio que não consiga reaproveitar apenas 5% de todas as porcarias que produzo.

Se fosse realmente possível usar apenas fraldas de pano, portanto, eu as usaria. Mas não o é.

Além de nojentas, elas consomem grande quantidade de água para serem lavadas e nunca são totalmente limpas e livres de bactérias e germes, além de não serem tão confortáveis para os bebês como as fraldas descartáveis (a bem que eu suspeite que o Paixão Vergueirinho jamais viesse a demonstrar descontentamento por isso).

De qualquer forma, toda vez que eu falava com alguém sobre o assunto a resposta imediata era: "É você quem vai lavar?"!!

Então, como não sou eu que vou lavar, e pelos motivos já citados acima, fui devidamente convencido a abandonar a idéia....

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Menino ou Menina?

Tem uma enquete aberta aí embaixo que pergunta a opinião de vocês sobre o sexo do bebê: menino ou menina? (não deixem de votar)

Reza a tradição dos Vergueiros que o primeiro filho de um Vergueiro homem é sempre homem também. Assim aconteceu com o meu pai, com o meu tio, com meu avô, outros tios e, se não estou enganado, com o meu bisavô também.

Estou evitando especular, primeiro porquê não faço a mínima questão de saber do sexo antes do próprio nascimento - sou dos poucos que gosta de manter o mistério até o final e sentir o prazer de descobrir apenas na hora do nascimento, mesmo sabendo que isso já não é mais possível hoje em dia - e segundo porquê dizem que se torcer muito acontece justamente o contrário.

Mas que vai nascer um menino, isso vai. E sãopaulino!

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Projeto PV

Seguem as primeiras imagens do futuro bebê Paixão Vergueiro, tiradas ainda antes de finalizar seu segundo mês de gestação.

Reparem em como ele está sorrindo pra foto!!


Não é lindo o meu bebê??? Agora caminha pro final do terceiro mês.

Quando se cria a vida, como se pode ser a favor de destruí-la ainda na barriga da mãe?

Escreverei mais sobre isso futuramente.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Riobaldo ou Capitu?

Uma das questões que afeta qualquer casal durante a gestação é a escolha do nome do bebê.

Muitos definem o nome que querem dar aos seus filhos desde antes deles nascerem, enquanto outras pessoas não fazem a menor idéia sobre isso, deixam para pensar mais para perto do nascimento.

Eu sempre tive um nome para minha primeira filha. Era o mesmo da minha primeira namoradinha de escola, da terceira série, quando eu ainda era puro, puro. Naturalmente esse nome já não vale agora, não porque não o ache bonito, mas porque não carrega mais o simbolismo do passado.

O que me move na escolha de um nome, seja ele masculino ou feminino, são alguns critérios tais como frequência na sociedade, universalidade e facilidade na pronúncia e sonoridade, dentre outros.

Pode parecer estranho, mas gostaria que fosse também um nome bíblico e, além disso, composto.

Esse último critério tem clara influência familiar: João Paulo, João Carlos, Clarissa Maria e Tatiana Cristina.

Bem, naturalmente essa não é uma decisão só minha, mas há de ser compartilhada com Mamãe Vergueiro e ela já manifestou nessas últimas semanas claras discordâncias com as minhas 127 sugestões. Com todas elas!

Então neste último sábado fizemos um pequeno e divertido exagero burguês: compramos uma revista com milhares de sugestões de nomes e os seus significados!

Não tive muito tempo no final-de-semana de folhear a revista, mas já deu para ver que não vão faltar idéias. O que precisamos agora é achar um consenso! :)

Bem, como não sabemos o sexo mesmo - e se dependesse de mim só saberia no nascimento - não temos pressa para escolher nome algum. Só eu que sou meio afobado mesmo!

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Vai casar?

A primeira pergunta que 97,34% das pessoas me fazem logo depois que eu as informo que vou ser pai é "vai casar?".

Bem, depende!

Eu naturalmente não pretendo ver meu filho vir ao mundo sem estar do lado dele 100% do tempo, quero me organizar até para tirar férias junto do seu nascimento, acho um absurdo machista homem ter só 5 dias de licença paternidade, etc e etc.

Mas tampouco eu e Mamãe Paixão vamos sair correndo para formalizar uma relação que depende muito mais de amor e sinergia do que de um contrato (o casamento civil).

Na verdade, no fim das contas, a palavra "casar" tem um peso diferente para cada pessoa. Alguns acham que juntar trapinhos já é casar, outros que precisa ter papel assinado e por fim, os mais "radicais", que casar só na Igreja.

Como eu sou "radical", e um dia pretendo casar perante Deus e a família, acho que ainda não é a hora. Vamos Mamãe Paixão e eu viver juntos e cuidar dessa presente divino que é ter um filho, e aí com tempo e calma a hora de oficilizar as coisas chegará.

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Gringos

For my english speaking friends, I hope you can follow the blog but unfortunately it will be in portuguese almost all time.

In here you will be able to learn a little about my experience on becoming a daddy for the first time, how I am dealing with it, fears and moments of joy.

My girlfriend is almost 3-months pregnant now so we have around six months ahead of us. I will call her "Mamãe Paixão" in here.

Hope you enjoy the blog!

jP Vergueiro

* * *

Para os meus amigos que só lêem em inglês, espero que consigam acompanhar o blog, mas infelizmente ele será escrito praticamente quase todo em português.

Aqui vão poder conhecer um pouco sobre a minha experiência em ser pai pela primeira vez, como estou lidando com isso, medos e alegrias.

Minha namorada está com quase três meses de gravidez e nós ainda temos cerca de seis meses pela frente. Chamarei-a de Mamãe Paixão aqui.

Espero que gostem do blog!


jP Vergueiro

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Mamãe Paixão

O nome da futura mamãe é Mara. Mara mesmo. Mara Paixão.

Para descontrair, e por questões literárias, eu a chamaria de Mamãe Vergueiro. Mas conforme combinamos em casa, ao agrado de todos, ficará "Mamãe Paixão".

Então é isso, temos agora Papai Vergueiro e Mamãe Paixão.

A nova geração? Bem, será um Paixão Vergueiro! :)

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Da Paternidade

Quais serão os medos e aflições que tomam o homem ao saber que será pai pela primeira vez?

- Falta de dinheiro?
- Tempo?
- Incapacidade de lidar com crianças?

Da minha parte, sinto mais a insegurança de não conseguir transmitir à próxima geração as crenças e valores que recebi dos meus pais e, principalmente, de não saber desenvolver neles a capacidade de questionamento crítico dessas mesmas crenças e valores.

O que vem por aí....

Em breve, muito em breve (se eu conseguir me acostumar a isso), começa a descrição da experiência do Papai Vergueiro!

Até já!


jP Vergueiro