sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Berçário ou não?


Nesse momento, no blog, estou promovendo uma pequisa sobre colocar ou não a Maria Alice no berçário.

- Será realmente importante que a criança frequente um berçário para socializar-se desde já ou é mais reconfortante e humano ter uma babá nos primeiros anos de vida? Ou então tentar esticar o tempo da Mamãe Paixão antes de voltar a trabalhar?

Estamos no momento de discussão sobre o que fazer a partir do sexto mês de vida da Maria Alice. Mamãe quer voltar a trabalhar e até agora fomos beneficiados pelas festas de final-de-ano, o que nos possibilitou ter a família reunida em casa por um período maior.

Logo, no entanto, Mamãe Paixão precisará retomar suas atividades profissionais: musicoterapia e arte-educação, trabalhando com crianças carentes e com pessoas com deficiência mental, além de clinicar.

Ao colocar Maria Alice em um berçário, porém, teremos inúmeras dificuldades. A pequena não pega mamadeira, não pega chupeta, não consegue ficar longe da mãe e só mama no peito! Como fazê-la desgrudar?

Não sabemos ainda a resposta e estamos sofrendo um pouco por isso. Os berçários na região, para completar, também são muito caros.

E aí, berçário ou não berçário? Ô questão difícil!

12 comentários:

  1. Babá pode ter certeza que fica bem mais caro que berçário, e é difícil encontrar alguém de confiança. Segundo uma máteria q li, a criança só está realmente preparada pra escolinha após os 3 anos de vida, antes disto não sabe socializar com outras crianças. A Bianca já começou a ficar doente, coisa q nunca havia antes acontecido. Na verdade berçario socializa as doenças, ela está magrinha, quase teve um começo de pneumonia, o q salvou foi ela ser forte e as vacinas pagas contra tal doença. Mas os médicos dizem q o primeiro ano em creche é normal que a criança viva doente. Eu se pudesse ficaria em casa com minha filhinha. Marisol

    ResponderExcluir
  2. Oi, jP!
    O DEco entrou no berçário aos 5 meses e só teve uma gripinha leve, que na verdade deve ter pego de mim. Peguei uma brava de ficar de cama!
    Acho que é porque ele mamava (e ainda mama) no peito. Ele também não pega chupeta e não pegava mamadeira. As meninas do berçário foram tentando várias técnicas aos poucos (com meu leite que eu enviava diariamente) e ele começou a mamar. Logo aos 6 meses, a pediatra introduziu a papinha, então ele não precisava mais de mamadeira, já que ele só fica meio período.
    A adaptação para ele foi fácil também, talvez por conta disso. É até uma dica que eu dou: colocar o bebê antes da volta ao trabalho para ela poder ir se acostumando aos poucos, até quando realmente precisar ficar o dia todo.
    Embora eu seja mãe, sou meio suspeita para falar de berçário porque minha sogra tem um há mais de 30 anos, então o que não falta é experiência para ela e para a equipe. Hoje em dia ela não ficca mais lá, mas as coordenadoras estão há vários anos.
    Tenho uma amiga que tem babá, por ser médica seus horários são meio complicados. Deu muito certo. A babá é uma fofa. Se quiser, eu vejo com ela o telefone da empresa que ela contratou. É importante contratar especializada para poder fazer estimulação, educar do jeito dos pais e não só cuidar do básico e deixar na frente da TV.
    Realmente o bebê não sabe socializar com outras crianças, mas vai aprendendo que cada um tem sua hora, que existem outras crianças que querem ser o centro da atenção como ele, que brincam com os mesmos brinquedos, que estão no mesmo espaço. Tem criança que chega grandinha no berçário e não quer ficar perto das outras, que começa a chorar quando outra chega perto.
    Quanto às doenças, dê uma verificada nas questões de higiene do berçário. Frequência em que os brinquedos são lavados, se tem alcool gel, como eles trocam as fraldas, como são levadas e preparadas as mamadeiras.
    FIcar doente, na verdade, é meio inevitável, mas vai criando resistência também. Agora, se fica MUITO doente, é preciso parar para repensar mesmo.
    Bom, qualquer coisa me liga que eu dou mais dicas de babá e de berçário... Mas as duas opções são meio caras mesmo... ;)
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. OI JP
    quando nasceu meu primeiro filho (León), pedi as contas pra ficar com ele. 3 anos depois perguntei se seria aceita de volta no instituto de pesquisa onde trabalhava e me aceitaram imediatamente. No próprio instituto tinha creche. 5 anos depois nasceu a TIti, mas quando acabou minha licença maternidade, não pedi as contas. Botei ela no berçário do próprio Instituto (que é tão grande quanto uma cidade: o IVIC, na Venezuela).
    30 anos se passaram e vejo como fui estúpida jogando minha filhinha recém nascida naquele berçário tido como o melhor do país. Fiz isso porque me entediava em casa só tomando conta de minhas crianças. Mas agora dá pra ver a abismal diferença que existe entre meus filhos sem e meus filhos com creche. Porém, se a Mara trabalha com crianças, será que não daria para ela ir trabalhar junto com outra criança, sua própria filhinha? É una idéia muito louca.... um bom guerreiro sabe esperar... até Maria Alice fazer 3 anos.
    consuelo

    ResponderExcluir
  4. Oi gente, valeu pelas dicas! Provavelmente vamos tentar prolongar a permanência da Mara com a Maria Alice o máximo possível, mesmo sabendo de eventuais problemas de adaptação depois se precisar ir para um berçário.

    Mas a gente faz o que pode para ficar perto da filha!! Beijão

    ResponderExcluir
  5. Estou no mesmo dilema...adorei as respostas, alias adorei o blog, vou seguir ! Bjk !

    ResponderExcluir
  6. Oi Daniela, obrigado! Boa sorte na escolha! Bjs

    ResponderExcluir
  7. Olá,sou a Ana mãe da Duda de 1 ano,3 semanas e 4 dias...minha filha vai ao berçário desde seu 7 meses...HOJE ela se comporta bem,mas no começo sofriámos juntas(risos)...mas ela pegou um refriadinho e esta comigo em casa a 1 semana...antes dessa semana,ela ja era manhosa...agora então...não sei mais o que fazer,ela ta muuuuuuuuuuuuuuiiiiiiito chorona,ta começando a andar,então gruda no nosso dedo pra levar pra andar,só quer saber de rua(por que la,ela fica toda feliz)...será que alguem pode me dar uma ajudinha???

    não sei mais oq fazer!!!!

    ResponderExcluir
  8. É uma situação difícil mesmo, Ana. Maria Alice também mudou muito depois do berçário, fica doente mais vezes, tá bem apegada à mãe, e por aí vai. Cada bebê tem uma personalidade, essa é a grande diferença, e aí cada um age de uma forma diferente. Boa sorte com a Duda!

    ResponderExcluir
  9. Ola,
    Tambem tenho uma bebe que vai para o bercario. A sua bebe fica o dia todo? Ela se adaptou bem?
    Por favor, me ajude. Meu coracao esta em frangalhos.
    Amanda

    ResponderExcluir
  10. Olá Amanda!! A Maria Alice só fica no berçário o dia todo duas vezes por semana. Nos demais dia ela fica lá só 5 horas, e é o máximo. Mas é realmente difícil, eu que sou pai sofro até hoje quando vou levá-la lá no berçário, pois nosso instinto nos faz querer ficar com ela até o final! Ela demorou um pouco para se adaptar, e até hoje chora as vezes quando fica lá, mas o começo foi mais difícil e já passou. Mas a Maria Alice é o extremo, em geral os bebês se adaptam rapidamente. Abraços, boa sorte!

    ResponderExcluir
  11. Olá blogueiro,

    Dê ao seu filho o que há de melhor. Amamente!

    Quando uma mulher fica grávida, ela e todos que estão à sua volta devem se preparar pra oferecer o que há de melhor para o bebê: o leite materno.

    O leite materno é o único alimento que o bebê precisa, até os seis meses. Só depois se deve começar a variar a alimentação.

    A amamentação pode durar até os dois anos ou mais.



    Caso se interesse na divulgação de materiais e informações sobre esse tema, entre em contato com comunicacao@saude.gov.br

    Obrigado pela colaboração!

    Ministério da Saúde

    ResponderExcluir
  12. Olá JP!

    Meu nome é Miriam, tenho um menino de 2 anos e 7 meses, desde 1,9 (ano/meses) que ele vai ao berçário. O primeiro berçário que ele frequentou tinha uma boa estrutura e ele se adaptou bem, mais 2 meses depois ele ficava doente frequentemente e pegou 3 infecções alimentares, fiquei horrorizada, e lá qdo eu ligava p/ perguntar do meu filho, sempre diziam que estava tudo bem. Resumo, ele já saiu desse berçário e está em outro, e agora não vive doente como antes...o importante é está sempre atento aos sinais que seu filho dá, se ele chora muito e fica muito agitado, é pq o lugar não é bom para ele. Eu sou de João Pessoa-PB, e me sinto na obrigação de dizer o nome desse Berçário, até pq fiquei sabendo que outras crianças estavam com infecção, tamanho era o descaso. O berçário chama-se VIDA...irônico né.
    ESpero que tenho sorte com sua filha e fique sempre atento.
    E parabéns, ela é linda!

    ResponderExcluir