sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Caras e Bocas



Na faculdade de administração aprendi que Freud já dizia cem anos atrás que a boca no bebê é uma região de prazer, e hoje com a experiência que tenho com a Maria Alice posso confirmar o quanto ele estava certíssimo.

Para minha filhota, a boca é sua porta de entrada com o mundo. Tudo que pega ela leva aos lábios, como em uma tentativa de descobrir o que é o objeto que segura e que sensações ele pode proporcioná-la.

Bonecas, pacotes, panos, copos, celulares, colares, brinquedos, dedos, meu nariz, o cabelo da Mamãe Paixão, nada escapa da boquinha pequena da Maria Alice.

Por outro lado, no entanto, nada dura muito tempo lá, uma vez que assim que os lábios identificam o sabor eles prontamente descartam o objeto, e é por isso que além de mamar a Vergueirinha não mantém mais nada em sua boca por mais do que alguns segundos.

E o mais engraçado ocorre quando um de nós está comendo ou bebendo tendo ela no colo. A Maria Alice simplesmente vira para cima e tenta alcançar o copo ou talher que estamos usando. Por inúmeras vezes tive que parar de beber o suco porque a mãozinha dela ficava empurrando o copo para o lado e eu naturalmente não conseguia ficar sério.

Em virtude dessa curiosidade dela, de se atiçar toda vez que temos algo em mãos para colocar na boca, aos poucos vamos testando sua reação com os sabores. Uma colher de iogorte que ela experimenta com a língua por cima, um suquinho de pêssego, etc., ela nem engole, só passa a língua sobre o alimento, e ficamos vendo sua reação, se gosta ou não gosta.

No sexto mês Maria Alice vai começar a comer de verdade. Aí as coisas vão ficar interessantes!

Nenhum comentário:

Postar um comentário