quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Papai é pop


O único presente de Dia dos Pais que sempre vai me interessar é estar com minha filha. Não tem data especial, não precisa esperar o segundo domingo de agosto de cada ano, bastará ela estar por perto, e isso será o suficiente.

Como eu não sou ligado em muitas datas específicas (apenas algumas mais especiais) ou em comprar presentes, também não ligo se não os receber. Eu quero é ser feliz e curtir cada momento que tiver com a filhota e com seus futuros irmãos.

No domingo, porém, tive uma bela e inesperada surpresa: de noite, Maria Alice chorou ao ser retirada dos meus braços e quando saí para passear com o (cachorro da família). Foi a primeira vez que agiu dessa forma, apegada de verdade em mim, e foi simplesmente emocionante. Pois é exatamente isso que espero de um legítimo Dia dos Pais em família.

3 comentários:

  1. Grande JP!
    É verdade, todo dia é Dia dos Pais, não só no segundo domingo de agosto. Confesso que demorei, mas neste ano entendi isso! Tive uma perda mto dolorida na semana passada e meu pai foi quem me "segurou", quem não me deixou cair da tristeza! Fora outras tantas provas que ele já me deu (e que eu tb dei) de que não há dia para ele.

    Ah, claro! Ela tá cada vez mais linda! Parabéns, papai! Hehehehe!

    Abração!

    ResponderExcluir
  2. Que delícia JP. Parabéns a você e a todos os papais tão dedicados e que compartilham com nós (as mamães) todas as alegrias, apreensões e surpresas da ma(pa)ternidade.

    ResponderExcluir