segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Aprendizados de Maria


Com um ano de vida, já são várias as traquinagens que Maria Alice aprendeu:

- Ela manda beijinhos, estalando os lábios e fazendo movimento das mãos;
- Quando quer comer, abre o "bocão" para a gente;
- Se falamos "ah, acabou", ela estica os dois braços com as palmas para cima;
- Ao perguntarmos "Quem vai tomar banho, levanta a mão", ela ergue a cabeça para trás e estica os braços;
- Dá tchau para as pessoas na rua;
- Sabe imitar a gente, quando nos jogamos no chão ou no sofá, por exemplo;
- Fica pulando de bruços no puff da sala;
- Abre e fecha as portas por conta própria agora;
- No banho, se ela levanta e pegamos a toalha, ela senta rapidinho;
- Carteiras são sua diversão predileta, Maria Alice tira todos os documentos e cartões para fora!
- Escadas não são mais desafio, ela sobe em um segundo;
- Ah, e por aí em diante...

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Supermoça


Além de exigente, demandante e birrenta, Maria Alice também é forte, muito forte. Principalmente com os braços.

Em casa, sai mexendo em tudo e não se contenta enquanto não consegue o que quer. Já consegue abrir a geladeira sozinha, carregar briquedos pesados de um lado para o outro e inclusive erguer a tampa de uma grande caixa de madeira que temos no quarto.

Quando precisamso trocá-la e ela não está a fim (o que é muito comum hoje em dia), tenho que segurar seus braços com firmeza, e mesmo assim Maria Alice se contorce toda e tenta fugir com as pernas antes de colocar a fralda e a calça. Muito difícil!

Acho que essa força ela deve ter puxado de Mamãe Paixão. Eu sou um fracote, já Mamãe é artista de circo e sua especialidade no picadeiro é o tecido, técnica que exige grande força nos braços e que ela praticou até praticamente ficar grávida (e está ansiosa para voltar).

Vamos ver. Agora que Maria Alica está cada vez mais andando para cá e para lá e querendo mexer em tudo, temos também que ensiná-la a dosar sua essa sua força. São tantos desafios ser pai, ai ai.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Confesso (guilty as charged)


Tenho culpa no cartório, eu sei:

- Confesso que gosto quando Maria Alice faz alguma traquinagem, como apertar bastante os outros bebês. Sinto que ela tenta se impor e fico orgulhoso disso;
- Confesso que gosto quando ela tenta subir as escadas da casa, e até incentivo isso, pois acho que é bom para desenvolver sua capacidade motora e sua força;
- Admito que ao perceber que ela se diverte quando eu simulo bater a cabeça na porta, vou lá e faço isso outras vezes, só para fazer graça;
- Confesso que quando bato com um bicho de pelúcia no outro simulando uma briga, e ela ri, me estimulo a repetir a atitude ainda mais.
- Aceito o fato e admito que, menos do que me impor como um pai rígido nesse momento, eu quero é mais que ela se divirta e que eu me divirta junto dela, não importa o que Maria Alice faça! (deixa a disciplina para a Mamãe Paixão impor, tá?)

sábado, 21 de agosto de 2010

Soninho


As noites de um bebê, em geral, são motivo de pesadelo para a maioria dos pais. Maria Alice não é exceção a essa regra, e agora que estamos celebrando o seu primeiro ano de vida, preparei uma uma rápida retrospectiva sobre o assunto Aliás, retrospectiva necessária essa, até porque ultimamente ela está dando muito trabalho em casa:

1 - Quando nasceu, dormiu por duas semanas seguidas. Acordava de três em três horas para mamar e chávamos então, inocentes que éramos, que seria moleza lidar com a filhota.

2 - Nos três meses seguintes Maria Alice deu muito trabalho para dormir. Chorava, gritava, mamava, às vezes pegava no sono somente três, quatro horas da manhã. Acordava muito tarde também, e dificilmente dormia de dia. Pobres vizinhos, foi nossa fase mais difícil com ela.

3 - Com quatro meses de vida, passou a dormir a noite toda. - Ah, que maravilha que era! Mamãe Paixão tinha noites tranquilas, mas os dias eram puxados, porque ela só queria colo quando não estava sonhando. Foi nesse período que visitamos o Chile, e tivemos poucos problemas com Maria Alice por lá.

4 - A partir de fevereiro deste ano, completando seu sexto mês, começou o atual estágio do sono da filhota: dormindo entre dez horas e meia-noite e acordando a cada três horas, em média, para mamar. Deste momento em diante, a rotina mais ou menos se organizou, com ela também tirando duas ou três sonecas por dia também.

Nos últimos dias, porém, temos observado algumas dificuldades para Maria Alice conseguir dormir. Não digo que ela já esteja entrando em uma nova fase, mas de fato em várias noites Mamãe Paixão dormiu muito mal, pois a filhota acordava e chorava no mesmo instante em que a colocávamos no berço. A única solução nesses casos foi trazê-la para a cama.

Existem motivos para isso estar acontecendo, e o principal deles é que nunca a ensinamos Maria Alice a dormir sozinha, sempre no peito de sua mãe ou balançada por mim. Todas vezes que tentamos ela chorou demais, e nunca tivemos coragem de deixá-la chorar até dormir. Esse é um desafio que ainda temos pela frente, não vai dar para fugir.

Bem, finalizada a pequena retrospectiva, resta agora torcer que ela aos poucos cresça e passe a dormir bem e melhor. Faz um ano que Mamãe Paixão não consegue uma sequência de boas noites (para mim é mais fácil, porque quase nunca acordo de madrugada), e ela bem que está merecendo!

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Um dia inesquecível


Hoje faz um ano que Maria Alice nasceu, dia que guardo vivamente na memória, do momento em que suspeitamos que algo estava acontecendo com Mamãe Paixão até chegarmos em casa de volta com nossa filha em mãos.

Parabéns, Maria Alice, parabéns menina. Papai te ama muito, de uma forma impossível de traduzir em palavras. Mas me basta que saiba disso: que te amei desde que soube que você viria e te amarei para sempre. Parabéns!

*  *  *

Deixem mensagens de parabéns para Maria neste post: http://vergueirinho.blogspot.com/2010/08/1-ano-de-maria-alice-livro-de-mensagens.html.

Escreverei um texto mais longo falando sobre esse primeiro ano de vida de Maria Alice. Espero publicá-lo aqui logo, entrará no livro também.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

1 ano de Maria Alice - Livro de Mensagens - Deixe seu recado

Amigos! Nesta quarta-feira, 18 de agosto de 2010, Maria Alice completa um ano de vida.

Muito trabalho tivemos com a filhota nesses 365 dias, mas nada que se compara à felicidade de a ter na família. Ontem a noite, olhando Maria Alice dormindo no berço e lembrando que ela estava próxima de fazer aniversário, não consegui conter a emoção e chorei um pouco. Ela é tão linda!

Bem, vamos ao que interessa. Esse não é um post de blog comum, esse é um post "Livro de Mensagens".

Como muitos já sabem, minha idéia é agrupar todos os textos deste site (já são mais de 250) e publicá-los em um livro. Será meu presente de aniversário para Maria Alice, e substituirá uma eventual festa comemorativa, que não faremos nesse momento.

Além dos textos, pensei em ter também  um "Livro de Mensagens" para ela. Ou seja, pedir para que deixem uma mensagem de parabéns a Maria Alice o nesse post, pois vou publicá-las no livro como um capítulo específico.

Então, você quer mandar os parabéns para minha filhota? Deixe sua mensagem aqui! E não se esqueça de por nome e e-mail também (sim, ela pode querer agradecer um dia)!

domingo, 15 de agosto de 2010

Primeiros passos

video 

video 

Quando é que poderei anunciar que Maria Alice já está andando? Quando ela der os primeiros passos por conta própria? Andar por um minuto completo sem cair? Ou sair correndo por aí?

Já há alguns dias Maria Alice arrisca ficar de pé e passear de um lado para o outro. Vontade ela sempre teve, e desde o quinto mês de vida gosta de ficar de pé, mas só nas últimas semanas efetivamente passou a desenvolver esse lado e principalmente depois de começar a engatinhar.

Não faço muita festa ao ver a filhota andando. Quer dizer, faço isso. Bato palmas e comemoro. Ela sempre deu muito trabalho ficando só nas nossas mãos, dependente do papai e da mamãe. Vai continuar dependente, mas agora teremos que ficar ainda mais de olho nela.

Que dureza que é a vida dos pais, a gente nunca pára de se preocupar com os filhos.

Ah, e assistam os vídeos!

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Traquinagens



Dois acontecimentos nesse último final-de-semana chamaram minha atenção para uma característica de Maria Alice: ela adora um show.

Sábado, em uma praça de alimentação no Rio de Janeiro, irritada de ficar no colo, ela saiu andando pelos corredores com Mamãe Paixão e por onde passava ia distribuindo beijinhos, com uma das mãos se apoiando em sua mãe e a outra fazendo o movimento de ir e vir em direção à boca, como uma artista que envia beijos para seus fãs.

Já domingo, em uma comemoração caseira antecipada do seu primeiro aniversário realizada na casa dos avôs Vergueiro, cena ainda mais curiosa: percebendo que todos tinham achado engraçada sua careta ao não gostar do bolo de creme, ela simplesmente passou a fazer caretas só para receber mais risadas e gracejos. De propósito!

Tendo em vista minha curta experiência como pai, e sabendo que tudo é um aprendizado, ainda assim não consigo deixar de ficar maravilhado com a capacidade dos  bebês de, desde cedo, manifestarem forte personalidade e capacidade de compreensão do que está à sua volta.

E no caso específico de Maria Alice, ela é tão arteira e gosta tanto de chamar a atenção que até parece que é baiana: não nasceu, estreou.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Papai é pop


O único presente de Dia dos Pais que sempre vai me interessar é estar com minha filha. Não tem data especial, não precisa esperar o segundo domingo de agosto de cada ano, bastará ela estar por perto, e isso será o suficiente.

Como eu não sou ligado em muitas datas específicas (apenas algumas mais especiais) ou em comprar presentes, também não ligo se não os receber. Eu quero é ser feliz e curtir cada momento que tiver com a filhota e com seus futuros irmãos.

No domingo, porém, tive uma bela e inesperada surpresa: de noite, Maria Alice chorou ao ser retirada dos meus braços e quando saí para passear com o (cachorro da família). Foi a primeira vez que agiu dessa forma, apegada de verdade em mim, e foi simplesmente emocionante. Pois é exatamente isso que espero de um legítimo Dia dos Pais em família.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Cidade Maravilhosa


Estamos no Rio de Janeiro!

Tendo coincidido uma viagem de trabalho para uma quinta e sexta-feira, aproveitei para trazer Mamãe Paixão e Maria Alice e juntos vamos passar o final-de-semana na cidade maravilhosa.

O clima não está ajudando muito, o sol até saiu, mas está ventando e não fica muito quente, mas a expectativa é que pelo menos no domingo seja possível pegar uma praia, enquanto amanhã passearemos pela cidade. Maria Alice já conheceu o Pacífico, agora chegou a hora de se molhar no Atlântico.

Nesta sexta, apenas passeando por Copacabana, a filhota tentou comer areia. Agora que já está mais consciente do mundo, em comparação a nossa viagem para o Chile, acho que vai aproveitar mais o mar. Vamos ver, torçam para voltar o calor!

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Theodoro - e um pai sensível

Esse não é um texto da Maria Alice, e sim do Theodoro, um bebê que conheci acompanhando o blog da Dê Freitas. Esta, por sua vez, chegou até aqui procurando informações de um pediatra que citei logo que Maria Alice nasceu. Há toda uma rede de blogs de mães e, em muito menor quantidade, alguns blogs de pais também. E as pessoas pesquisam na internet, então acabam se encontrando umas às outras.

Theodoro, ou só Theo, é um bebê de oito meses com problemas de saúde. Sua mãe mantém um blog em que conta o que acontece com seu filho, que está sofrendo.

Alguns dias atrás, Dê Freitas pediu orações pela saúde de Theo. Eu não tive coragem de abrir o blog, pois já sabia qual seria minha reação. Hoje, novamente, a manteve a solicitação de boas vibrações para o bebê, e eu finalmente entrei no site.

Mas não me contive, como sabia que não iria me conter, e chorei ao ver as fotos.

Se algo mudou em mim desde que Maria Alice nasceu foi a sensibilidade em relação aos bebês. Não suporto mais ler, ver, ouvir uma história triste de uma criança. Sou tão feliz por ter minha filha, e sofro tanto com medo de que algo aconteca com ela um dia.

Rezem (ou enviem energia) pelo menino. Ele precisa. Nenhuma criança deveria nascer doente. Nenhum pai deveria sofrer pelo seu filho em um hospital. É doloroso demais.

domingo, 1 de agosto de 2010

Palmadas


O debate vai longe, e confesso que não  tenho opinião formada sobre o assunto, mas não dá para deixar de falar sobre o Projeto de Lei de iniciativa do Executivo que se propõe a proibir quaisquer atos violentos contra as crianças e adolescentes, incluídas aí as famosas "palmadas".

Curiosamente, esse é um tema que sempre me chamou a atenção. Quando criança, fiz a promessa de jamais bater em filho algum. Não me lembro exatamente quando a fiz, e quantos anos eu tinha, mas recordo vivamente a cena e o momento em que tomei a decisão.

Os anos se passaram e agora finalmente sou pai, e pelo jeito que Maria Alice se comporta tudo leva a crer que será uma criança muito bagunceira e agitada. Como lidar com ela então?

Disciplina, muita disciplina, e exemplo dos pais o tempo todo.

Não tenho nada contra ser rígido, impor regras, limites e orientações a meus filhos. Não dá para saber ainda se terei sucesso nisso, mas o condicionamento e a exposição clara para a criança dos benefícios e prejuízos de cada conduta que toma, me parecem ser soluções consideráveis. Nada de passar a mão na cabeça e deixar fazer o que bem entenderem.

A violência - e aí se incluem as palmadas, cintadas, beliscões, etc. - soa para mim como um recurso de incompetentes, pais que não conseguem utilizar outras formas mais eficazes de punição e educação.

Mas para que quaisquer outras maneiras de educação e correção terem sucesso, creio ser fundamental também o exemplo dos responsáveis. Não adiantar punir por brigas do filho na escola, por exemplo, se os pais se comportam de forma violenta no trânsito e com as pessoas na rua. A criança é reflexo de quem somos, e nossa imagem é a única em que se inspiram até a adolescência, então qualquer forma de disciplina só terá sucesso se referendada em uma conduta adequada de quem a impõe.

Assim, eu provavelmente seria a favor do Projeto de Lei, que pode ser encontrado neste link. Sua leitura, no entanto, me dá a impressão de um texto genérico, bonito, mas um pouco redundante e vazio. Diz apenas que a criança deve ser educada sem o uso de castigos corporais.

Bem, isso eu já sabia. E, além do mais, não gosto de ver o Estado querendo se intrometer em como devo educar os meus filhos. Prefiro o governo proporcionando educação de qualidade a todos, um sistema judiciário capaz de punir pais inaptos a cuidar dos seus filhos e uma rede de proteção social que atenda às crianças que dela necessitam. Melhor isso a ver uma lei que na prática não vai trazer resultado algum enquanto não se mudar a cultura na cabeça dos pais.