sábado, 16 de abril de 2011

Ao volante


Eu nunca gostei muito de dirigir, e tampouco tinha incentivo para isso, pois meu pai nunca foi de gostar de carros e eles não eram muito valorizados lá em casa. Assim, não desenvolvi uma atração especial por essa suposta "paixão brasileira", e até hoje não sou muito chegado em pegar no volante.

Maria Alice provavelmente também não será, já que as meninas desenvolvem ainda menos o gosto pelos automóveis que os homens. Mas como ela ainda está na fase de imitar seus pais, daí vem sua alegria de poder brincar nos bancos da frente quando o carro está parado, ao invés de ir presa na cadeirinha atrás.

Lá em casa, por sinal, quando eu era criança, viajávamos todos dormindo deitados na parte de trás do carro, cujo banco era rebaixado para ter mais espaço para os quatro irmãos. Outros tempos aqueles...

Nenhum comentário:

Postar um comentário