sábado, 2 de abril de 2011

No Colo


Quando criança, sempre que a saudosa Vó Maria visitava, eu corria para sentar no colo dela. Era uma demonstração de carinho e afeto, e um hábito que mantive até uns oito, nove anos.

Maria Alice, como todo bebê, também gosta de um bom colo. Ao sairmos, é muito difícil conseguir colocá-la para andar no chão ou fazer com que fique quieta no carrinho: ela quer colo, colo, colo.

Nesse sentido, não mudou muito ter aprendido a andar, e os nossos braços vão ficando cada vez mais fortes por força do hábito de carregá-la. Por isso que também desenvolvemos alguns truques para "enganá-la", como apostar corrida na rua, pedir ajuda dela para empurrar o carrinho de compras no supermercado, sair dançando "Dona Tartaruga" por aí e etc.

Naturalmente, vai chegar a hora em que a filhota há de ficar no chão quase sempre, e aí sentiremos falta de quando ela fazia de tudo tendo seus pais a segurá-la. Bem, já que é assim, então deixa ela aproveitar o colo do papai um pouco mais, não é mesmo?

Um comentário:

  1. Oi Joao,
    Obrigada pela vistinha no meu blog.
    As criancas nos surpreendem a cada dia e cada um desenvolve habilidades e vontades diferentes, viva a diversidade! :)

    O negócio é aproveitareste tempo com nossos bebes enquanto eles ainda o sao, ne? No colo e sem muitas palavrinhas(no caso do meu Victor).

    Logo eles crescem, desabrocham e a gente fica aqui, morrendo de saudades desse tempo bom...
    Abracos e seja sempre bem vindo!
    Bia, mamae do Victor

    ResponderExcluir