terça-feira, 26 de junho de 2012

Escolinha


E Tarsila começou no berçário! Desde semana passada, nossa caçula iniciou sua adaptação na mesma escola que Maria Alice vai, perto de casa. Felizmente os últimos dias estão sendo muito bons para a pequena, que parece estar não somente se adaptando bem lá, como também dormindo melhor em casa, interagindo com as pessoas e livre de uma gripe mais forte.

No berçário, segundo Mamãe Paixão (eu não tive como ir ainda ver), ela brinca com os outros bebês, come frutas e fica no colo. Chora muito menos que a Maria Alice quando esta começou lá, e já vai até poupar a Vovó Paixão de vir em casa nesta tarde, quando a Mamãe sair para trabalhar no Música Materna.

Estamos muito felizes em casa nesse momento. Maria Alice está alegre e divertida, Tarsila é menos complicada de lidar do que foi sua irmã, e Papai e Mamãe estão fazendo planos para o futuro da família. Eu e minhas três meninas lindas!

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Com Vergonha


Maria Alice está na fase da vergonha, e já superou o desprendimento típico que tinha quando era bebê e que a levou a dançar no meio de uma apresentação de rua em Paris com apenas um ano e três meses de vida. Agora, ao encontrar alguém desconhecido ou a chegar em lugar novo, se fecha, abraça seus pais, se contrai.

É compreensível essa fase dela. E, se realmente puxou o Papai aqui, esse comportamento não vai passar nunca mais. O "esquema" é o seguinte: sempre que eu chego em algum onde não conheço ninguém, como um novo emprego ou uma festa de desconhecidos, fico na minha, vou conhecendo o ambiente e ganhando confiança da situação. Em pouco tempo, já estou livre, leve e solto, exatamente como a Maria Alice faz, saindo desembestada para brincar depois de um primeiro momento de reclusão.

Cada vez mais acho que ela puxou o pai. E cada vez mais fico feliz com isso!

quarta-feira, 13 de junho de 2012

O fim das fraldas - o difícil feito fácil


Maria Alice já não usa fraldas faz alguns meses, nem para dormir. Um problema a menos, na família, e uma facilidade a mais, pois ela agora avisa quando quer ir no banheiro e já começa até a "enrolar no trono", como boa menina serelepe. O pinico também é coisa do passado.

Incrível como certas coisas difíceis são tornadas fáceis pelos nossos filhos, enquanto outras supostamente fáceis são tão difíceis. Para sair das fraldas, não precisamos fazer simplesmente nada com a Maria Alice, ela decidiu que não as usaria mais e assim foi. Nunca fez xixi na cama, e apenas uma ou duas vezes ela fez nas calças.

Ao mesmo tempo, dormir sempre foi um suplício. A filhota levou quase dois anos para dormir sem acordar de noite, e até hoje, várias vezes na semana ela acorda uma ou duas vezes na noite e chama por seu pai ou sua mãe (Papai não ouve, claro!).

Maria Alice nunca gostou de leite, até hoje toma muito pouco, mas também nunca deu trabalho para tomar banho ou escovar os dentes, por exemplo, que ela adora e até cobra. Tudo muito estranho, fugindo do nosso controle sobre o que é fácil ou não com ela.

Com a Tarsila, o mesmo começa a se repetir. Ela tem dificuldade para dormir ou para ficar muito tempo parada sem estar no colo dos seus pais, mas não dá trabalho para tomar banho, e é comportadinha em muitas outras situações.

É curioso como algumas coisas difíceis são tornadas fáceis e vice-versa, dependendo do bebê. E a gente só observando, sem poder fazer muita coisa, e torcendo para dar tudo certo!

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Árvore Genealógica


Eis a primeira lição de casa da Maria Alice. Pobrezinha, serão tantas! As próximas é ela quem vai fazer, Papai e Mamãe só vão mesmo ajudar quando for preciso.

sábado, 2 de junho de 2012

Bronquiolite fraca


Parece que e a Tarsila está com uma bronquiolite fraca. Tudo bem, não é nada grave, ela já melhorou hoje e eu sequer sei o que é isso, apenas sei que ontem a Mamãe Paixão foi com ela fazer um raio-x do pulmão, sob orientação da pediatra com quem a filhota tinha tido consulta um pouco mais cedo.

Tarsila não gosta de tomar remédios. Faz careta, reclama, resmunga. Já Maria Alice tinha mais gosto pelo líquido diferente. Brincava muito com a injeçãozinha que usávamos várias vezes, e até hoje adora o "xarope da vovó" quando está com tosse. Ela, inclusive, até brinca de estar gripada quando a Tarsila vai tomar remédio, só para tomar também.

Com os bebês (bonecas) dela, Maria Alice simula estar no hospital, dá injeção, mede a temperatura, dá comida, etc. A gente se diverte e adora essa simulação, pois toda brincadeira criativa deve ser estimulada.

Vão brincar muito as meninas, quando crescerem. Vão dar trabalho e sossego ao Papai, por isso mesmo.