domingo, 7 de outubro de 2012

Valores


Aproveitando que hoje é dia de eleições, e considerando que estou já há algum tempo distante do blog, achei que valia a pena voltar e retomar a conversa sobre alguns dos valores que as meninas vão aprender com o pai dela.

Já tratei disso aqui antes, faz tempo, e fico angustiado ao ver repetidas vezes o argumento de que devemos votar só levando em conta a proposta dos candidatos e nada mais. Como eu não concordo com isso, e não concordarei, nada melhor do que debater e apresentar os meus valores dentro da ideia de que temos que conhecer e saber os valores que são defendidos pelos candidatos e por seus partidos, para que isso nos ajude a decidir na hora do voto.

Bem, tratemos então de alguns dos meus valores:

1 - Os fins não justificam os meios: não há bem que possa ser feito e defendido se, junto com ele, o mal também for produzido. Não à toa, é impossível justificar a redução da pobreza, por exemplo, se para isso a corrupção prosperou. Há tantos outros exemplos e, confesso, é difícil manter a coerência aqui, pois os argumentos "do bem" seduzem as pessoas, que não percebem que os meios estão viciados.

2 - Democracia: liberdade é importante, e a liberdade só se garante com democracia. Toda e qualquer ditadura, por mais "social" que seja, é ainda uma ditadura, e não pode ser defendida. O indivíduo deve ser livre para escolher o caminho que quer seguir para si e seu país, e a ninguém, de forma não-democrática, pode ser dado esse direito em nome do cidadão.

3 - Somos todos iguais: o que nos diferencia é nosso esforço e dedicação, e não qualquer característica que tenhamos adquirido em virtude da genética, renda, etc. A cor da pele de ninguém o faz melhor ou pior que outro, para o bem e para o mal, e a nossa diferenciação se dá pelo esforço, pela dedicação a que nos empenhamos dadas as condições oferecidas. O papel do Estado é oferecer mais condições a todos, sem distinção, e não privilegiar grupos específicos, seja por quaisquer argumento "politicamente correto" que exista.

4 - Vida: sim, a vida é um valor, se não o maior de todos. A vida se protege, se defende, e não há justificativa moral que legitime tirar a vida de alguém de forma calculada, por qualquer método que seja - aborto, pena de morte, eutanásia e mesmo guerras, que devem ser evitadas a todo o custo por não serem nunca a solução.

5 - Respeito a todos: o pior dos discursos é o "se todo mundo faz, por quê eu não posso?". Vou ter que lidar com isso com as meninas, não tenho dúvida alguma. As pessoas furam fila, dão um jeitinho, e até eu, em 31 anos de vida, com certeza já cometi alguma pequena transgressão. Mas carrego o sentimento de culpa e não tenho esse tipo de atitude nem como exceção, pois ela simplesmente não deve ocorrer.

Falar de valores é fácil, porém, e o discurso deve ser legitimado pela prática, caso contrário se reduz à pura hipocrisia.

Por isso mesmo, minhas filhas não verão o pai dela mudando seus princípios para alcançar algo que deseje, bem como não verão o seu pai defendendo ditaduras (e eu já fiz isso, quando seduzido pelas propaganda castrista), mesmo que seja uma "boa ditadura" em contraposição a um governo tirânico ainda pior.

Terão no seu pai um ardoroso defensor da vida como um valor absoluto, do qual não se abre mão, e não verão o seu pai defendendo cotas raciais ou qualquer outro instrumento que crie um privilégio a um indivíduo só por causa da sua cor de pele.

E, finalmente, não verão seu pai falando para se "dar um jeitinho", e é mais provável que o vejam extremamente bravo e sem humor algum se elas falarem isso ou se propuserem furar uma fila caso conheçam alguém no meio dela.

E elas vão compartilhar todos os meus valores? Não, provavelmente não, pois também terão sua mãe na formação dos valores das meninas (e Mamãe Paixão tem certo valores iguais aos meus, mas pensa diferente sobre outros temas), os dos amigos, da sociedade, etc. Formamos nossos valores a partir de várias influências, e eu espero ser uma grande influência para ensiná-las o que defendo e acredito, sabendo explicar as motivações e porquês. Vamos ver se consigo.