quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Reunião de Pais


Hoje fui à reunião de pais da turma da Maria Alice.

Ahhh, quanto tempo faz que não ia a uma reunião dessas? Uns três anos, talvez? Sempre trabalhando, sempre ocupado... e não perdendo nada! Mas que coisa chata!

É pai querendo falar sobre o problema específico que seu filho tem, ou que ele fica tagarelando com outra criança, faz bagunça, não aceita "não" em casa, etc. e etc.

É a professora falando de como vai cuidar bem das crianças, da fase da vida em que elas estão, e eu só pensando em ir para casa logo e resmungar aqui no blog.

Mas vá lá, não foi de todo mal ir na escola hoje: descobri que eles têm o "ajudante do dia". O ajudante do dia é uma criança que que apoia a professora nas atividades com os demais "aluninhos". Uma por dia, uma por vez.

Isso é bacana e ensina responsabilidade. Mas não é por isso que eu gostei: é que lembrei de quando eu era criança e adorava a minha vez de ajudar, adorava receber elogios por um trabalho bem feito. Sim, meu ego gostava de um "lustre" desde aquela época. E acho que com a Maria Alice não vai ser muito diferente não..

domingo, 12 de janeiro de 2014

Desmame


Fazer dois anos de vida marcou a pequena Tarsila, e não propriamente pelo aniversário, mas porque coincidiu com o período de desmame dela. Ufa!

Mamar, toda mãe sabe, é bom e faz bem para o bebê. Incentiva-se o aleitamento materno pelos dois primeiros anos de vida dos bebês, e aqui em casa seguimos a risca a recomendação, ainda que involuntariamente. As meninas simplesmente não paravam de mamar, e foram crescendo com isso.

Mas o fato é que a partir de certo momento na sua vida, já mais desenvolvidas e conscientes do que está ao seu redor, mamar tinha se tornado menos uma necessidade das meninas e mais uma distração para elas, uma forma de chamarem - e prenderem - a atenção da mãe. E para Tarsila tinha chegado a hora de parar.

Ela sofreu, é verdade. É a famosa "saudade do peito". Passadas já algumas semanas ela ainda sente saudades, mas percebe-se que está muito mais solta e à vontade pela casa, sem fazer tanta birra como antigamente. A única coisa que não mudou, por enquanto, foi o apego dela à mãe. Como gosta da mãe essa menina!